A produção de caminhões, em janeiro, somou 9,5 mil unidades, incremento de 7,5% sobre igual período de 2021 e expansão ainda maior sobre 2019 e 2020, de 39,7% e de 31,9%, respectivamente, de acordo com dados divulgados pela Anfavea na segunda-feira, 7, durante evento online.

Na comparação com dezembro houve retração de 23,7%, mas Gustavo Bonini, vice-presidente da entidade que responde pelo segmento pesado, justificou um pouco do recuo:

“Temos que olhar para os últimos quatro meses do setor, pelo menos, porque algum mês pode receber impacto de um pedido específico. Nos últimos meses o setor segue estável e o segmento pesado segue representando 50% das vendas”.

As vendas de caminhões somaram 8,7 mil unidades, incremento de 15,5% sobre janeiro de 2021. Nessa base comparativa os pesados puxaram o avanço do setor, com alta de 25,8%, enquanto os leves também apresentam expansão 21%.

Com relação a dezembro a queda foi de 26,8%, recuo causado pela sazonalidade do período, pois as encomendas seguem estáveis, segundo a entidade.

As vendas de caminhões e ônibus com motores a gás ou elétricos somaram 77 unidades, representando 0,8% do total comercializado pelo mercado, participação que era de 0,3% em janeiro de 2021.

O resultado negativo do setor veio das exportações, que somaram 1,2 mil unidades, recuo 13,8% ante janeiro de 2021. Com relação a dezembro a queda foi de 39%.

Foto: Reprodução AutoData

Fonte: AutoData