O Consórcio Intermunicipal do ABC recebeu ontem (2/9) cedo líderes do Sindicato das Empresas de Transporte de Carga do ABC (Setrans) e da Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Estado de São Paulo (Fetcesp).

Eles sugeriram penalidades mais duras a empresas flagradas comercializando produtos de origem ilícita.

Projeto

As entidades solicitaram a articulação de projeto de lei regional que preveja a suspensão imediata de estabelecimentos receptadores de carga roubada até que seja finalizado o processo para cassação do alvará de funcionamento.

Texto regional

A categoria sugeriu texto único a ser encaminhado às Câmaras das sete cidades. “Devemos debater nos GTs (Grupos de Trabalho)”, afirmou o secretário-executivo do Consórcio ABC, Edgard Brandão, aos visitantes.

As cargas

Segundo representantes do setor, os principais focos do roubo de cargas na região têm sido pneus, polietileno, autopeças e cosméticos.

“É importante aos municípios criar mecanismos para evitar receptação e comércio ilegal de produtos, pois a prática, além de ser incentivo ao crime, faz com que prefeituras deixem de arrecadar com impostos”, afirmou Brandão.

Fonte: ABC Repórter  – 03/09/2019

Foto: ABC Repórter